Laguna Humantay – A Lagoa Azul Peruana

Laguna Humantay – A Lagoa Azul Peruana

Certamente esse foi um dos melhores passeios que já fiz por todos esses anos viajando por esse mundão de meu Deus rs! E claro que quando digo que foi um dos melhores, foi pela beleza, tá? Porque a subida, meu Deus!!! Socorro!!!

Conhecida como a Lagoa Azul Peruana, a Laguna Humantay fica numa altura de 4200 metros acima do nível do mar e está localizada aos pés do monte Salkantay, com mais de 6000 metros de altura. Local também por onde muitos fazem a trilha de 4 dias para chegar até Machu Picchu. Coragem!

Como todo tour feito por lá, reservei com a agência Machu Picchu Reservations também este tour e como a maoiria: Saída às 4h00!

A cara de quem teve que acordar às 3h30 da manhã. MEGA feliz!! Sqñ

Partimos cedo de Cusco e depois de aproximadamente 2h30 de viagem, chegamos até Mollepata, na província de Anta onde fizemos uma parada para o café da manhã, já incluído no preço do tour, assim como o almoço.

Dica: Por ali também é possível comprar água e capa de chuva, artigos que carinhosamente chamei de itens sobrevivência! Aconselho a compra!

Após o café seguimos por mais 1h30, por uma estrada sinuosa, porém com uma linda vista até chegarmos ao destino final e ponto de partida para a subida: O povoado de Soraypampa.

A primeira parte do trajeto é plana, sem muita dificuldade, então é o momento de ir ao banheiro, mascar folhas de coca (fundamental). O nosso guia também emprestou uns cajados para servirem de apoio durante a subida, ajudaram bastante. Mesmo apesar dessa parte ser plana, a altitude pega um pouco. Vi pessoas querendo desistir por causa disso. O aconselhável é cada um subir no seu tempo.

Durante essa primeira parte é possível ver os acampamentos de quem faz a trilha rumo à Machu Picchu, até um hotel de luxo pode ser visto. Além de iglus e alguns animais (lhamas, cavalos, etc.). Parada para respirar, e logo após disso era preparar o psicológico pra pior parte!

A segunda parte do trajeto é a pior possível. Muito íngreme e de difícil subida, com pessoas apelando pro aluguel de cavalos. Durante todo o percurso tem gente oferecendo cavalos para ajudarem na subida – não concordei muito com isso, mas vai de cada um – cada um sabe de si, claro!

Tendo em mente que não iria me apressar pra subir, iria fazer no meu tempo, fui subindo aos poucos, parando algumas vezes pra respirar e também aproveitando pra observar linda paisagem que fui deixando pra trás. Quanto mais eu subia, eu olhava pra trás e via o quanto já tinha subido e olhava pra frente e via que ainda faltava muita coisa, parecia nunca ter fim!
Demorei cerca de 1h20min pra completar a subida e posso dizer que após ter chegado ao topo, fui surpreendido por um visual exuberante, incrível! Finalmente estava diante da Laguna Humantay, a Lagoa Azul Peruana!

A Laguna tem essa coloração que varia entre o verde e azul turquesa (mais perceptível quando se observa mais do alto) e é o resultado do degelo do pico da montanha Salkantay, por isso essas tonalidades podem ser observadas.
O cansaço ali era iminente, mas a alegria de ter conseguido subir e poder contemplar essa maravilha me deram uma revigorada (e nem quis sequer pensar na descida, quis viver o momento, e que momento!)

Dica: Deixe pra fazer o passeio depois de já ter se acostumado à altitude de Cusco, ainda assim foi puxado pra mim pelo fato de ser uma subida íngreme a mais de 4 mil metros de altura!



Após o momento de contemplação, fotos e vídeos, tivemos um briefing do guia sobre a história do local

A parte triste é que, de acordo com o nosso guia, daqui há alguns anos já não teremos tanta neve como se vê agora, e o que vemos agora já é menos do que se via há uns anos atrás. Resultado do aquecimento global.

Depois de 300 mil fotos e vídeos, nosso guia nos convidou a fazer um ritual. Esse ritual consistia em agradecer, através da construção das apachetas, (pedras amontoadas) aos deuses ancestrais e pedir também boa sorte no caminho. Também era pra agradecer a mãe terra por cuidar tão bem dos que viajavam pelo deserto.

Esse ritual já era executado há tempos onde os povos indígenas dos Andes construíam apachetas e essas significavam um local sagrado de descanso para outros viajantes do deserto, uma orientação espiritual e os objetivos principais eram:

1 – Marcação e sinalização do caminho no deserto
2 – Altares sagrados para os deuses incas;

“A principal oferenda ritual chama-se k’intu que compreende três folhas de coca (ou seis ou nove, ou mais, múltiplos de três), sendo que a maior folha é dedicada aos Apus, espíritos da natureza protetores representados nas montanhas e picos andinos. Os Apus (que em quéchua significa “Senhores”) são respeitados e invocados nos rituais. Entre eles estão: Apu Salcantay, Apu Ausangate, Apu Willkamayu, Apu Sawasiray, Verônica, Putukusi, Machu Picchu, Huayna Picchu, entre outros. A segunda folha, mediana, é dedicada à Pachamama, Mãe Terra, nutridora, provedora da vida. E a terceira folha, de menor tamanho, representa a humanidade. Essas folhas são consagradas com um pequeno sopro ou com o hálito, que significa o sopro de vida que todos temos dentro de nós” (Fonte: xamanismo.com).

No final do ritual, as 3 folhas de coca foram colocadas debaixo de uma Apacheta e após agradecer aos deuses e pedir proteção no caminho, seguimos de volta descendo a montanha.

Resumão da descida:
1- Quase perco o cajado emprestado pelo guia pra auxiliar na subida;
2- Escorreguei duas vezes e quase caí;
3- Novembro não é um mês de muita chuva, porém choveu granizo na descida;
4- Fui por a mão e me queimei (de leve mas dói rsrs)

Dicas:
1- Leve a capa de chuva (não levei e me molhei todo na descida);
2- Beba bastante água e masque folhas de coca (repetitivo, mas importante);
3- Suba durante o tempo que achar necessário, tudo bem que é um tour e temos horários, porém seu bem-estar vale muito também, e você será recompensado pelo visual estonteante da Laguna;

Após a descida, almoço para repor as energias e retorno para Cusco. Todo o passeio durou cerca de 12 horas e valeu muito a pena! Foi um dos melhores passeios já feitos na vida!

Momentos que já estão guardados na memória, afinal, a vida é feita disso né, de momentos e memórias!!!