Meu roteiro de 6 dias na capital chinesa – Parte 1

Quando decidi ir à China não esperava o que encontrar. Na verdade já havia visto vídeos e lido vários blogs à respeito do País e a ansiedade em conhecer e ter minha primeira vez na Ásia só aumentava.
Ao chegar em Pequim me deparei com uma cidade enorme, caótica. Afinal são mais de 21 milhões de habitantes mas ainda assim o que mais me surpreendeu foi o fato de o transporte funcionar.

Tanto em Pequim quanto em Xangai andei de metrô por todos os lados (com exceções em Pequim para ir até a Muralha) e clicando aqui te conto como funciona o transporte e ainda te dou dicas de onde se hospedar nas duas cidades!

Falando em Muralha: Fiz um post todo especial contando minha experiência em uma das 7 maravilhas do Mundo Moderno que você pode conferir clicando aqui!

Voltando ao assunto Pequim: Eu passei 6 dias na cidade e pude absorver bastante da cultura do local e desfrutar muito do que a cidade oferece. É um choque cultural bem grande mas nada que um coração aberto não nos permita aproveitar e aprender!

Separei meu roteiro em duas partes, pra não ficar muito extenso e a primeira você pode conferir abaixo onde relato os locais que visitei estando lá:

CIDADE PROIBIDA

Foi o primeiro lugar visitado por mim em Pequim. O nome vem do fato de que o acesso era proibido às pessoas “normais”. Somente os empregados e a família do regente tinham acesso. Fora isso, ninguém podia entrar e ninguém sabia o que se passava lá dentro dos muros.

Dica: Ao comprar o ingresso tenha em mãos o passaporte, em alguns locais ele serve como o próprio ingresso!

O complexo foi construído entre os anos 1406 e 1420, durante as Dinastias Ming e Qing.
São quase 1000 palácios espalhados numa área de 720 mil metros quadrados e seus muros chegam a uma altura de cerca de 10 metros.

A cidade foi construída justamente pra proteger o imperador.
Foi transformada em Museu em 1925 e aberta ao público para visitação em 1950.
A visita por toda a Cidade Proibida dura entre 1 e 2 horas, são vários templos, palácios com artefatos antigos e utensílios, joias, porcelanas dos imperadores, salas de reuniões e rituais e um lindo jardim ao fundo.


Uma curiosidade chinesa é o fato de usarem animais que simbolizam proteção aos imperadores, sejam nos telhados ou nas portas (como os leões de pedra). Observe bem os telhados dos templos que você estiver visitando e as entradas dos mesmos. Sempre encontrará algum guardião ou animais no alto, dando proteção!

Em resumo, a Cidade Proibida, que não está mais proibida é rica em história, curiosidades. Você certamente vai gostar de passear por lá e conhecer uma China que até naquela época era desconhecida pelos cidadãos e despertava a curiosidade de saber o que acontecia de fato lá dentro. Reserve pelo menos 2 horas do seu tempo e se encante pelos seus templos e palácios!

PARQUE JINGSHAN

Originalmente um jardim, hoje o Parque Jingshan é um ótimo local pra passar uma tarde agradável. Fica bem ao norte da Cidade Proibida, logo na saída dela. É só atravessar a rua, comprar a entrada e subir a colina.

Foi aberto ao público em 1928 e logo em 1949 passou por reformas e pavimentações e atualmente abrange uma área de cerca de 230 mil metros quadrados.

A palavra Jingshan, em tradução livre significa Paisagem da Colina, colina essa de mais de 45 metros de altura, de onde é possível enxergar toda a Cidade Proibida e ver seu esplendor do alto à partir de um dos 5 pavilhões, o Pavilhão Wanchun (Ten Thousand Spring Pavilion).


Depois das milhares de fotos que fiz lá do alto, desci e continuei percorrendo um pouco mais do Parque, que conta com lindas flores, peixes, lagos e restaurantes. Além de uma galeria de arte ao ar livre, com exposições de artistas locais.

PRAÇA DA PAZ CELESTIAL

Conhecida também como Praça Tiananmen, é uma enorme praça bem no centro de Pequim, em frente à Cidade Proibida.

Bem ao centro da praça está o Monumento aos Heróis do Povo, obelisco de aproximadamente 10 andares, construído em memória dos mártires que deram suas vidas nas lutas revolucionárias do povo chinês nos séculos XIX e XX.

Nos arredores da praça está o Museu Nacional da China, um enorme museu com variadas exposições de arte, que vale a pena a visita. E a entrada era grátis. Apresentei o meu passaporte e me deixaram passar, sem não antes claro de passar pela revista, coisa corriqueira na China!


VILA OLÍMPICA

Pequim foi sede dos Jogos Olímpicos em 2008 e é claro que eu não podia deixar de ir visitar a Vila Olímpica e seus moderníssimos estádios e quadras.
Os prédios da vila acolheram mais de 16 mil atletas durante os jogos e as competições foram elogiadas não somente pelos esportes em si, mas principalmente pelo nível tecnológico de suas construções.

 

Coloquei o uniforme do meu time de futebol (não ligo muito, mas sempre uso o do Fogão!) e parti pra lá logo no fim da tarde.
E fica a dica: deixe pra ir também no final da tarde onde ao pôr do sol os estádios ganham luzes e cores variadas, tornando-os ainda mais bonitos!


Dentre as edificações, destaco: O Estádio Nacional de Pequim (conhecido como O Ninho de Pássaro), o Centro Aquático Nacional de Pequim (conhecido como Cubo D’água), onde como o nome já diz, ocorreram as competições de natação e a Tocha Olímpica (foto acima), prédio semelhante à tocha, que serviu de base para mesma permanecer acesa por todo o tempo durante os Jogos.

  • Ninho de Pássaro: A estrutura semelhante a um ninho é toda feita de ferro e aço que se entrelaçam formando essa estrutura oval. Possui 330 metros de comprimento por 220 de largura e capacidade para 80 mil pessoas, chegando a receber mais de 90 mil durante os Jogos de 2008. Teve sua construção iniciada em 2003 e custou mais ou menos 400 milhões de dólares.
    O estádio foi construído já pensando em sustentabilidade: Utilizando energia solar e reaproveitando a água da chuva para irrigar o gramado.

  • Centro Aquático Nacional de Pequim: Conhecido como Cubo D’água, o local abrigou as competições de natação, saltos ornamentais e nado sincronizado. Está revestido de 3 mil bolhas gigantescas de plástico translúcido e à noite mais de 16 milhões de tonalidades de luzes são emitidas por seu sistema de iluminação, dando um show à parte. Também teve sua construção iniciada em 2003 para os Jogos e possui capacidade para 6 mil pessoas.
    Foi reinaugurado em 2010 e hoje é o maior Parque Aquático da Ásia!

Continua…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *